Alunos participam de palestra sobre “Impostos” ministradas por pais

Como extensão do Projeto Gentileza, os alunos do 5º Ano do Ensino Fundamental participaram de uma palestra sobre impostos, conteúdo abordado em sala de aula na disciplina de Geografia. O grande diferencial dessa atividade foi que os palestrantes, José Maria e José Lima, não eram somente auditores fiscais que dominavam o assunto, mas pais de alunos que, com muito amor e delicadeza, conseguiram debater de maneira bastante acessível o assunto, estimulando os alunos a participarem dos debates propostos durante a palestra.

De acordo a professora de Geografia do IDB, Catarina Santos, a palestra foi importante porque, além de debater sobre impostos, os pais tiveram a chance de adentrar ainda mais no universo escolar dos filhos. “Os pais conseguiram colocar vários aspectos dos tributos, abordaram a importância de contribuir e de também cobrar a aplicação dos impostos. Além disso, como eles acompanham os filhos no dia a dia escolar, já entediam qual didática estava sendo trabalhada em sala e assim, mesmo sendo um assunto mais complexo, conseguiram apresentar, de maneira muito didática, todo o assunto. No final, houve uma discussão muito rica, onde todos os alunos participaram. Foi algo muito bom, fora que aumentou também essa relação escola-família que buscamos sempre”, disse.

A professora Jaquelane Moura, também de Geografia, completa: “Esse momento foi enriquecedor para nós professores e também para os alunos, pois possibilitou refletirmos sobre o uso do dinheiro público, demarcando o bom e o mau uso, evitando as generalizações. Além disso, levou-nos a refletir sobre a conduta dos nossos representantes, mas também das nossas responsabilidades quanto criança, dimensionando o ato da corrupção”, pontua.

Um dos pais, José Maria, explicou que foi uma satisfação enorme poder ter participado desse momento. “Foi com enorme satisfação que recebemos o convite para abordar a temática de impostos e aplicação do dinheiro público. Primeiro, porque foi uma oportunidade de desempenhar uma das funções do nosso cargo de Auditor Fiscal, que é proporcionar Educação Fiscal a estes pequenos jovens, além do fato de minha filha estar presente na apresentação. Segundo, porque os alunos também precisavam observar bons exemplos de aplicação dos recursos públicos para não desanimarem diante da massiva demonstração de casos de desvio de verbas que têm verificado. Afinal, não devem antipatizar a política, mas a má conduta de alguns profissionais que ocupam cargos ou funções no desempenho do mister público”, finalizou.