Dia Nacional do Historiador

20150819020824Desde 2009, os historiadores comemoram, no dia 19 de agosto, sua tão digna profissão. O dia 19 foi escolhido em homenagem ao nascimento de Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo – 19/08/1849. Nabuco nasceu em Recife, foi diplomata, poeta, orador e memorialista durante o Império e, apesar de nascido em família escravocrata, se opôs à escravidão em muitos de seus escritos. Joaquim Nabuco também participou ativamente da instalação da Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a Cadeira nº 27.  Ele faleceu em 17 de janeiro de 1910. Do seu nascimento até 2009, ano em que a lei foi aprovada, passaram-se 161 anos.

Segundo Laura Brandão, professora de História do Ensino Fundamental do Instituto Dom Barreto, antes de falar sobre a função do historiador, é pertinente falar sobre a função da história. Leia, a seguir, a declaração da professora Laura sobre o Dia do Historiador:

“A história é uma ciência que, ao contrário do que muitos pensam, não estuda apenas o passado. A história estuda o homem no tempo, como afirmou um historiador francês chamado Marc Bloc. O historiador é aquele capaz de, utilizando métodos e fontes, lançar uma interpretação sobre alguma experiência humana, em um passado mais ou ou menos recente. Considerando que  o conhecimento do passado é significativo para entender o presente, o historiador assume uma função social muito importante, uma vez que é aquele que constrói versões sobre  alguma experiência humana e que informa as pessoas do presente, ou seja, é ele que tem o discurso autorizado sobre o passado. A história, é uma narrativa construída pelo historiador, então ambos nos ajudam a entender o mundo em que vivemos e a responder à seguinte pergunta: como chegamos a ser o que somos?

É importante ainda destacar, que o ofício de historiador é antigo, mas que a institucionalização desta profissão no Brasil é recente. Há pouco mais de um ano o congresso nacional aprovou a lei que profissionaliza essa atividade. Isso é reflexo do reconhecimento da função social assumida pelos historiadores. O passo seguinte, é a criação de um conselho deliberativo, muito importante para regulamentar essa profissão e decidir sobre questões, ações e responsabilidades dos historiadores. Este processo ainda está em andamento, mas é possível vislumbrar um futuro bem promissor para a profissão”.
Parabenizamos todos os profissionais da área, em especial, os que fazem parte da nossa comunidade dombarretana!
Paz e Bem!