8 de Outubro: Dia do Nordestino

Apsj1ai_FLL2TPhS1XWb1l3S0OYydVk0TiAsVrTulOvIHoje, comemora-se o Dia dos Nordestinos. A data comemorativa foi criada no ano de 2009 em São Paulo, homenageando o centenário do nascimento de Antônio Gonçalves da Silva, mais conhecido como Patativa do Assaré, poeta popular, compositor e cantor cearense.

O dia foi criado em São Paulo, por ser o lugar onde vive o maior número de nordestinos fora da região Nordeste de todo o Brasil. No Estado paulista, a data virou a Lei 14.952/2009 criada pelo então vereador Francisco Chagas. O intuito é celebrar as raízes e as tradições culturais dos nordestinos, além de relembrar a vida e obra do autor cearense.

A cultura popular do Nordeste é muito rica. Seu artesanato, musicalidade, religiosidade, culinária, festividades, mitos, lendas, crendices, costumes, danças, superstições e outras tantas formas de manifestações artísticas deste povo é sensacional. Apesar de eu não ser fã de forró, reconheço a importância da vasta cultura nordestina na música e outros segmentos.

O homenageado pela data, Patativa do Assaré, está entre as principais figuras nordestinas do século XX. Vivia em Assaré, no Ceará, com sua família de origem pobre que habituava-se da agricultura de subsistência. Com a morte do pai quando tinha 8 anos, começou a ajudar na plantação. Foi alfabetizado aos doze, mas o estudo durou apenas alguns meses. Nessa época, começou a fazer repentes. Recebeu anos depois o codinome Patativa, pássaro da região que tem canto bonito em notas “tristes”.

O primeiro livro veio em 1956: Inspiração Nordestina, que reunia poemas do autor. Teve reconhecimento nacional, ganhou prêmios e foi cinco vezes Doutor Honoris Causa. Mesmo famoso, nunca deixou a região do Cariri, interior cearense. Faleceu aos 93 anos em 2002.

Paz e Bem!