GENTILEZA: NÃO TENHO NADA A PERDER!

Logo do Projeto Gentileza
Logo do Projeto Gentileza

De acordo com o dicionário Houaiss, a origem da palavra gentiliza é latina. Advém do radical gens (gentis), que significava o “grupamento familiar composto de pessoas livres de nascimento, com um antepassado comum”.

Essa ideia criada pelos nossos ancestrais foi genial, porque a pessoa que nasce livre não tem maus costumes, não está eivada de preconceitos, não tem barreiras, não se entrega a pressões sociais. Ela é livre e, portanto, é o que mais importa no caráter da espécie humana.

Liberdade não significa estar isolado. Pelo contrário, viver em grupo demanda uma afabilidade de alma que os mais encanecidos chamavam de boa índole. Na realidade, precisa-se de que as pessoas manifestem ações na direção da realização do outro, como: amor, amizade, solidariedade, acolhimento, companheirismo e gratidão. Esses atos podem ser chamados de gentileza, um atributo do espírito depurado pela educação, e especialmente pelo exemplo. Uma característica baseada no mais primário de todos os valores: a atitude nobre de consideração ao próximo. Saber ouvir, saber dividir, saber reconhecer que há pluralidades do mundo e que todos podem viver em total consonância. Ser gentil é saber sonhar. Em suma, é uma forma de amar.

No dia 13 de novembro, é comemorado e festejado o Dia Mundial da Gentileza. A ideia surgiu em 1996 quando pequenos grupos espalhavam a gentileza em seus países e se reuniram num congresso na cidade de japonesa de Tóquio. Esse movimento – que só foi instituído, de fato, em dezembro de 2000 – objetiva  conectar e inspirar pessoas de todas as nações para criar um mundo mais gentil e humanizado.

No Brasil, segundo alguns estudiosos, temos um grande personagem que representa esse espírito de gentileza: José Datrino – mais conhecido como Profeta Gentileza. É por causa dele, andava pelas ruas do Rio de Janeiro, espalhando suas palavras e atitudes gentis e deixando como patrimônio histórico mais de 50 painéis nas pilastras dos viadutos cariocas, que comemoramos o Dia Nacional da Gentileza (29 de maio de 1996, dia em que ele faleceu, aos 79 anos).

Devemos aproveitar essa data festiva para refletir sobre as nossas ações de gentileza no dia a dia, pois ser gentil é tarefa das melhores. Essa prática nos leva a obter resultados comoventes.Portanto, não custa tentar:

– Ser gentil no trânsito. Experimente praticar a calma e a condescendência;

– Ser gentil nas diversas filas. Compreensão e respeito fazem toda a diferença;

– Abdicar do seu lugar pelos  mais encanecidos e às mulheres. Por onde anda o cavalheirismo?

– Cumprimentar as pessoas com um sorriso. Não custa nada.

– Por favor, com licença, obrigado. Lembrem-se dos sábios ensinamentos de seus pais.

– Elogio sincero é uma grande atitude de gentileza. Todo mundo gosta.

– Uma ligação telefônica de atenção no aniversário deixa qualquer pessoa feliz. E então?

Atualmente, algumas pessoas estão guardando tantas amarguras e convivem diariamente com sentimentos de raiva, que acabam tratando a si próprias com violência. Seja afetuoso consigo, diz-se que, para conseguirmos amar as pessoas, precisamos nos amar primeiramente, e com toda razão. Cuide do seu ego, trate-se com carinho, zelo, amor, e não esqueçam que todos nós somos almas especiais.

Sorria mais para as pessoas, para a vida, desperte com bons sentimentos e deixe os sorrisos invadirem seus dias. Deparamo-nos com tanta gente ao longo de nossa marcha nesta terra e, às vezes, encontramos pessoas emburradas, ou tristes, com um semblante preocupado, e por que não cortejá-las com um sorriso sincero? Podemos regozijar o dia de alguém com uma ação gentil, simples e gratuita.

Lembre-se, ser gentil é mais do que fazer por dever, tem que ser e fazer por amor. É gerar bondade mesmo que não tenha ocorrido reciprocidade, é passar por cima das empáfias e demonstrar ao outro que ser gentil é melhor do que não saber distribuir carinho e amor, é demonstrar que a gentileza gera gentileza, e carrega consigo boas ações.

Nesse sentido, em 2015, a comunidade dombarretana se vestiu com esse espírito de gentileza, mobilizando todos os setores da Escola, numa clara demonstração de que esses gestos de amor ao próximo nos engrandecem e nos faz sentir como pessoas felizes, mas acima de tudo, como pessoas capazes de oportunizar a felicidade e a solidariedade a infinitas pessoas, principalmente àquelas que estão em situação de vulnerabilidade.  Portanto, gentileza é um ato do verdadeiro sentido da vida, que deve ser praticada diariamente e por todas as pessoas, pois como dizia o imortal Raul Seixas, “um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade”.

Infere-se que gentileza ultrapassa a capacidade natural dos seres humanos, é um ato de amor ao próximo, que deve ser estimulada todas as horas e em todos os momentos da vida, e, especialmente, quando você se encontra com pouca ou nenhuma paciência e entende que deve passar por cima do estresse cotidiano,e dizer: Vou ser mais gentil, porque com isso, não tenho nada a perder, só tenho a ganhar.

Não esqueçam, façam aos outros o que gostaria que fizessem a você.

FELIZ DIA DA GENTILEZA!!!

Marivaldo Macêdo – Professor de História do IDB.