Dia do Fico

AutH7PmztivGt_7pC_6_2wCVaeGx6WuNyvIrpII9LnCyO Dia do Fico foi instituído na data de  9 de janeiro de 1822, marcado historicamente pelo fato de  o então Príncipe regente do Brasil, D. Pedro I,  não haver acatado as ordens advindas da Corte Portuguesa  para deixar imediatamente o Brasil e retornar para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nessa ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : ““Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico”.

Para entender melhor este acontecimento, é necessário conhecer o contexto em que tudo ocorreu. Em 1807, com o objetivo de expandir seu poder sobre o continente europeu, Napoleão Bonaparte planejava uma invasão sobre o reino de Portugal e, para escapar dos franceses, a Família real portuguesa transferiu-se para o Brasil, que se tornou o centro do Império português.

A chegada da família real teve um grande significado para o desenvolvimento do país que, até então, era uma das colônias portuguesas. A Corte fixou-se no Rio de Janeiro, o que proporcionou inúmeras consequências políticas e econômicas, dentre as quais devemos destacar a elevação do país à categoria de Reino Unido, em 1815. O Brasil então deixava de ser colônia.

Entretanto, cinco anos depois, com as reviravoltas da política européia e o fim da era napoleônica, uma revolução explodiu em Portugal. As elites políticas de Lisboa adotaram uma nova Constituição e o rei Dom João VI, com medo de perder o trono, voltou do Rio para Lisboa e deixou aqui seu filho, Dom Pedro, na condição de Príncipe-regente.

Esse fato tem uma grande  importância histórica, pois fortaleceu a posição brasileira de buscar a independência, distanciando-se cada vez mais da influência portuguesa.

Paz e Bem!