1º de outubro – Dia do Idoso

b3460af5-5909-45ff-8b3d-23efa1b915eaNo 1º dia do mês de outubro celebra-se o Dia do Idoso no Brasil. A data foi instituída em 1991 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e da necessidade de proteger e cuidar da população mais idosa. Além disso, a data também é importante para promover uma reflexão sobre a situação do idoso na sociedade, nas questões ligadas à saúde, convívio familiar, abandono, sexualidade, aposentadoria etc.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a classificação como idosos inicia aos 65 anos e vai até 74 anos. O envelhecimento, antes considerado um fenômeno, hoje faz parte da realidade da maioria das sociedades. O mundo está envelhecendo, estima-se para o ano de 2050 que existam cerca de dois bilhões de pessoas com sessenta anos ou mais no mundo, a maioria delas vivendo em países em desenvolvimento. No Brasil, estima-se que existem, atualmente, cerca de 17,6 milhões de idosos.

As pessoas maiores de 60 anos em nosso país têm conquistado cada vez mais direitos de cidadania. Envelhecer não é necessariamente sinônimo de doença, no entanto, é de conhecimento geral que com o avançar da idade é comum o surgimento de algumas doenças, como pressão alta e diabetes. É o que explica a fisioterapeuta, Thais Cristina, ressaltando que todos os sistemas do corpo passam por alterações com o passar dos anos.

“Com o passar do tempo, nossos sistemas começam a diminuir sua capacidade, sua funcionalidade. Existem perdas em todos os sistemas como, por exemplo, o sistema neurológico, com a perda de memória, do reflexo, da capacidade de ação, da agilidade, assim como no sistema musculoesquelético, que é o sistema que tem o maior número de alterações, porque vai se perdendo a capacidade de contração do músculo, diminuindo as fibras musculares, perda de cálcio”, explica.

Porém, mesmo diante dos sintomas naturais do organismo, a fisioterapeuta explica que é possível se manter saudável e com uma rotina ativa, com a inclusão de diversas atividades físicas.

“Jovens ou idosos precisam ter hábitos saudáveis de vida, o ideal seria que o adulto já começasse a praticar exercícios físicos, buscando, assim, um bom condicionamento cardiovascular e físico, porque isso tudo colabora para um envelhecimento com qualidade. Dessa maneira, é possível e recomendado, sim, que um idoso pratique exercícios físicos. Essa prática irá trazer muitos benefícios para o idoso, como melhorar a capacidade cardiovascular, a respiração, a força muscular, a flexibilidade e até a autoestima. Algumas atividades indicadas para os idosos são: natação, hidroginástica, musculação, pilates, dança e caminhada. Todas essas atividades precisam, além  de orientação e acompanhamento, estar dentro das limitações individuais”, finaliza.