15 de Março é o Dia da Escola

Escola, um lugar cheio de possibilidades, capaz de mudar a vida das pessoas. Lugar de amizade, de encontros, de alegrias e expectativas. A Escola é a instituição que acompanha o mundo na velocidade e com o desenvolvimento do senso crítico que nós precisamos.

No Brasil, a Escola chegou com os jesuítas, no período colonial. A escola antes era restrita a pequenos grupos; hoje, ela é um direito de todos. A chegada da globalização melhorou o acesso à educação em todas os níveis, também tornou mais fácil o acesso à pesquisa e a qualificação à distância dos professores. A revolução, proposta pelos livros e conteúdos pedagógicos, deixou a escola ainda mais interessante.

No Dia da Escola, fomos conhecer as percepções de quem vive nesse que é um dos mais importantes palcos de transformação da vida do ser humano.

EDUCAR É UMA RESPONSABILIDADE

A diretora do IDB, profa Stela Rangel, nos disse o seguinte sobre o Dia da Escola: “a Escola exerce importante papel na sociedade. Sua função não se limita contribuir apenas para socializar o conhecimento, mas também para atuar na formação integral do aluno, somando esforços, a fim de promover o seu pleno desenvolvimento como cidadão.
Educar no contexto atual tem sido uma tarefa desafiadora e ao mesmo tempo prazerosa. Desafiadora porque a escola tem necessidade de se adequar ao progresso e às transformações do mundo moderno que implicam mudanças do comportamento do indivíduo na própria sociedade. Prazerosa porque educar é também compartilhar com a família na educação dos filhos, adequando-os aos novos paradigmas. Hoje a escola não apenas tem a função mediadora do conhecimento, mas também trabalha a socialização do aluno, discutindo assuntos relacionados aos valores humanos, mediante o ensino de conteúdos e habilidades necessárias à participação mais efetiva do aluno na sociedade.”

UMA SEGUNDA FAMÍLIA

Para as alunas Maria Eduarda e Louise Maria, estudantes da 2ª e 1ª Séries do Ensino Médio, respectivamente, a escola é uma segunda casa, uma segunda família. Para Maria Eduarda, uma escola precisa ter, além de um bom lanche (comenta rindo), professores dedicados. “A escola é como se fosse nossos segundos pais. Aqui nós aprendemos a ser cidadãos. Nós nos moldamos”!

Louise Maria, estudante do IDB desde pequena, é entusiasmada ao falar do ambiente escolar. “A escola é uma segunda família. Aqui temos novos conhecimentos”. Um outro fator importante dentro do ambiente escolar é o ensino religioso .“ A religiosidade é um dos fatores que formam os alunos e aqui no Instituto a religiosidade é marcante”, afirma Louise.

CONFIANÇA

A sensação de confiança é a palavra que melhor define Rosanna Diniz, mãe de dois alunos do IDB: Maria Diniz do 6º Ano do Ensino Fundamental e Marcelo Filho, da 3ª Série do Ensino Médio. Ela é realista e positiva quanto ao papel da escola. Para Rosanna, educação é feita de parceria entre a escola e a família. “A confiança é fundamental! Só que a formação da criança não é dada apenas na escola, mas em conjunto com a família.” Emocionada ela complementa: “a escola deve se adaptar à situação vivida, não pode ser um pacote fechado, apenas um transmissor de conhecimento. Quando eu mais precisei, meus filhos foram acolhidos, bem acolhidos.” , concluiu falando sobre a direção do IDB.

BOM ACOLHIMENTO 

A primeira impressão é sempre a que fica. Esse deve ser o fator que contribui para o desempenho do agente de portaria do IDB Centro, Marcos Rony, durante seu dia a dia na Escola. Para ele, “a recepção é o começo de tudo e deve provocar sensações agradáveis a quem chega “, diz o jovem funcionário que vê nesse espaço um local de trocar experiências e construir novos laços de amizade.

Agente de Portaria, Marcos Rony

O VALOR DO CONHECIMENTO

Sandra Reis

A professora e psicopedagoga Sandra Reis ministra aulas de Crisma para alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental e 1ª Série do Ensino Médio. Sandra resume bem o que é a escola: “A escola não é somente um espaço físico, e sim um organismo vivo onde se constrói conhecimento e se aprende valores.” Como pedagoga, ela afirma: “A formação continuada do professor é de fundamental importância. A escola não é composta só de alunos e professores, mas de todos os funcionários que nela trabalham.”

 

A HISTÓRIA 

A história do Dom Barreto é um bom exemplo do semear a educação de qualidade que começou com a Congregação das Irmãs de Jesus Crucificado e depois foi continuado com saudoso prof. Marcílio Rangel. “O Professor Marcílio foi um grande homem, grande sábio, grande educador. Um exemplo para o mundo,  ele era humano, conhecedor dos seus alunos e funcionários e de uma fé inexplicável.” , diz Sandra Reis.

O Instituto Dom Barreto completa em 2017, 73 anos de existência. Muitas conquistas e realizações foram alcançadas. Durante mais de sete décadas, a  escola cumpre o seu papel principal, que é educar e formar cidadãos.

Paz e Bem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *