Exposição Selfies do Silêncio, da 2ª Série do Ensino Médio, se destaca

Baseadas no questionamento “Como a poesia interpreta o mundo?”, as professoras de Língua Portuguesa e Literatura do 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental e da 1ª e 2ª Séries do Ensino Médio do Instituto Dom Barreto realizam uma exposição sobre intervenção literária e conexões poéticas, nos corredores das respectivas séries. 
Neste momento, iremos destacar dois trabalhos do projeto da 2ª Série do Ensino Médio, “Selfies do Silêncio”. O projeto consistiu fotografar imagens que retratassem o silêncio dos ambientes da Escola e seus significados, fazendo alusão aos poemas do livro trabalhado, “Poemas Completos de Alberto Caeiro”, que é uma coletânea de obras de Alberto Caeiro, um dos heterônimos de Fernando Pessoa.

Matheus Sales, Sara Correia, Gustavo Silva e João Augusto Rodrigues, alunos da 2ª Série B do Ensino Médio, participaram do projeto e desenvolveram um trabalho em que fizeram alusão do poema do livro  Aldeia, fazendo referência à biblioteca da Escola. Os jovens alunos escolheram a imagem da biblioteca para ser o centro do trabalho. A ideia da imagem é mostrar o vazio do corredor e, por se tratar do corredor da biblioteca, torna-se ainda mais significante, pois é um lugar que precisa deste silêncio por ser essencial para a concentração.

Segundo os alunos, a imagem relaciona-se ao poemaAldeia porque, como eles explicam no texto, “podemos adaptar o plano da aldeia ao IDB. Aqui, assim como na aldeia, nossa terra é tão grande como qualquer outra, porém aqui somos do tamanho que quisermos, fazendo parte de uma grande família, por isso somos sempre acolhidos. Lá fora a vida é pequena, comparada ao nosso segundo lar. Para cá, o horizonte se expande, vai além, podemos ver tudo ao nosso alcance, afinal aqui nós seremos sempre brilhantes.”
Para os estudantes, o resultado foi além do esperado e trouxe benefícios.  “Essa atividade fez com que nós desenvolvêssemos mais o trabalho em grupo. Isso nos leva a dialogar mais, comparar pontos de vista, além de quebrar a monotonia da sala de aula, porque passamos muito tempo nela. E esse trabalho mudou nosso cotidiano”, comentou o aluno Gustavo Silva.

O segundo trabalho foi o das alunas da 2ª Série D, Ana Maria Alexandrino e Manoela Araújo, que retrataram na imagem o que o poeta defende nos poemas, fazendo assim uma alusão e escreveram o texto “O Toque Escarlate”.

“A professora Conceição lançou o desafio de tirarmos uma fotografia que representasse o silêncio e vimos em uma planta, exatamente o resumo de tudo que o poeta Alberto Caeiro fala. Sentir mais e pensar menos. Baseado no que o próprio poeta defendia dentro dos poemas dele, nós tivemos essa inspiração. Porque o poema e a foto resumem o que ele pensa. No local em que toco na planta, na imagem registrada, é o único que está verde. Então quer dizer que floresceu. O resto está morto. Ou seja, no local em que você vive tem mais valor, ao invés de estar preocupado”, explicou Manoela.

Então, como especificaram no texto, as alunas defendem que “somos todos folhas secas esperando o toque escarlate”.

Os trabalhos ainda estão expostos nos corredores das turmas da 2ª Série e vale muito a pena uma visita para se deleitarem com tanta arte e amor!