Escola Popular Madre Mª Villac

Um sonho transformando realidades!

O homem tudo pode quando pensa e trabalha pelo bem comum. Criar uma escola de qualidade é sonho de todo professor-educador. Mas, fazê-la acontecer e vivenciá-la numa comunidade carente é um desafio somente para aqueles comprometidos com uma sociedade consciente, solidária e fraterna.

Com o intuito de alavancar o desenvolvimento da comunidade do Bairro Satélite, zona periférica de Teresina (PI), foi fundada a Escola Popular Madre Maria Villac, que representou um marco para a comunidade daquele Bairro: resultado da garra e confiança do professor Marcílio Rangel e da irmã Missionária de Jesus Crucificado Casilda Ribeiro, que em 1992, tendo às mãos o resultado de uma pesquisa sócio-educacional se sensibilizaram com o desencanto dos jovens em relação ao ensino público da época.

A Escola Popular Madre Maria Villac é uma instituição educacional mantida pelo Instituto Dom Barreto. Começou a funcionar com duas turmas de reforço: uma multisseriada para crianças de 1ª a 4ª séries e a outra para alunos de 5ª a 8ª séries – que recebiam aulas de Língua Portuguesa e Matemática.

Neste mesmo ano, devido à constatação do alto índice de adultos analfabetos, criou-se o Curso de Alfabetização de Adultos, utilizando o método Paulo Freire/MEB (Movimento de Educação de Base). Os monitores eram pessoas da comunidade, orientados por professores do Instituto Dom Barreto: Pedro Oliveira, Socorro Vaz, Vera Regina Craveiro e Catarina Santos, supervisionados pelos dois arquitetos do projeto: professor Marcílio Rangel e irmã Casilda Ribeiro.

A primeira turma concluiu o Curso de Alfabetização em 1994. Mais duas outras foram criadas em 1995 e 1996, numa clara demonstração que o projeto estava no caminho certo. A implantação dessas duas turmas representou um grande avanço para a comunidade, pois ocorreu uma alfabetização significativa, contribuindo para aumentar a auto-estima, favorecer o exercício da cidadania e possibilitou o ingresso no mercado de trabalho.

No inicio da implantação do curso de adultos, a Escola não tinha sede própria e nem um quadro de professores fixos, o local de funcionamento era de responsabilidade da comunidade, por conta disso, a Escola funcionou em diversos locais.

No período de 1995 a 1998, a Escola implantou o Telecurso 2º Grau. Em 2001, foram criadas mais duas turmas: uma de alfabetização de adultos e outra de pré-vestibular, quando construiu a sede própria.

O resultado da primeira turma do pré-vestibular foi gratificante, pois vários alunos foram aprovados, concluíram o ensino superior e já estão, atualmente, exercendo o seu ofício. Embora tenha tido um resultado positivo, não foi satisfatório para os objetivos maiores da Escola, uma vez que alguns discentes abandonaram o curso ao longo do ano letivo, por conta da falta de base dos alunos nesse nível de ensino para acompanhar o processo e obterem êxito e para ingressarem no Ensino Superior.

No entanto, o professor Marcílio Rangel, mestre comprometido com a formação humanística e de espírito empreendedor, superou as dificuldades daquele momento e, em 2005, oficializou a Escola, conforme a legislação vigente no país, com uma turma de 1ª série do Ensino Médio, que ao concluir o Ensino Médio em 2008, teve aprovação extraordinária no vestibular, o que está trazendo novos horizontes para a comunidade.

Em 2006, foi implantada a primeira turma de alfabetização de crianças. E nese mesmo ano, devido à identificação das dificuldades no domínio dos conteúdos presentes no Ensino Médio, foi mantida uma turma de 7ª Série de reforço e regularizada a 8ª Série do Ensino Fundamental, com o intuito de melhor preparar esses alunos para o Ensino Médio isso pautado nos princípios norteadores da Escola: os domínios cognitivos, afetivos e sociais voltados para a cidadania e a fé cristã.

À medida que os bons frutos foram aparecendo, crianças e jovens se destacando nas salas de aula, com reflexos positivos em toda a comunidade, foram crescendo as solicitações em busca de uma Escola, que atendesse a todas as séries da Educação Fundamental e Médio. Por isso, em 2009, o Instituto Dom Barreto, decidiu implantar também o Ensino Fundamental completo nesta Instituição de Ensino.

Hoje, graças ao ideal e a coragem do professor Marcílio Rangel e da irmã Casilda Ribeiro e do empenho dos professores e funcionários, além do apoio da comunidade, o projeto Escola Popular Madre Maria Villac, mantida pelo Instituto Dom Barreto, está em pleno funcionamento, atendendo a todas as diretrizes traçadas nesse projeto de educação.