DIA NACIONAL DA RECICLAGEM

Com o objetivo de conscientizar toda a sociedade sobre a importância da coleta, separação e destinação de materiais recicláveis, foi instituído em 9 de outubro de 2009, através da Lei nº 12.055, o dia 5 de junho como o Dia Nacional da Reciclagem, comemorado hoje.

A escolha desta data (5 de junho) é uma referência ao Dia Mundial do Meio Ambiente, desde 1972. Neste mesmo dia, também foi realizada a 1ª Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, em Estocolmo, na Suécia.

Internacionalmente, o Dia Mundial da Reciclagem é comemorado em 17 de maio. Esta data foi instituída pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

 

ETAPAS DA RECICLAGEM

O símbolo da reciclagem é formado por três setas, fazendo referência a um ciclo: a primeira seta representa a indústria, que fabrica um produto; a segunda, faz menção ao consumidor, que consome este produto; a terceira representa o retorno do produto ao ciclo produtivo, revalorizado por meio da reciclagem.

 

 

A reciclagem é uma atividade econômica com muitos benefícios ambientais, mas, para que ocorra com eficiência, é necessário que três etapas aconteçam:

 

Recuperação

As embalagens e os resíduos que descartamos todos os dias precisam de um destino correto para que sejam tratados como matéria-prima na fabricação de novos produtos. É fundamental separar os resíduos sólidos dos orgânicos e dos sanitários. Dessa forma, os recicláveis não são contaminados e têm mais valor, viabilizando e barateando a reciclagem.

 

Destinando corretamente para a coleta seletiva, todo o trabalho posterior é facilitado, pois a matéria-prima reciclável ainda precisa ser separada por tipo, por cor e por todos os critérios válidos para se manter a mais próxima possível da original. Após a triagem, os recicláveis ainda precisam ser prensados e enfardados para ocupar menos espaço e serem transportados.

 

Revalorização

Garrafas de plástico são moídas, voltando a ser grãos como a matéria-prima original do plástico. Papéis são triturados e misturados com água até se parecerem com pasta de celulose. Metais e vidros são derretidos, ficando prontos para fundição. A revalorização pode ser feita de muitas formas, de acordo com o material e a finalidade que se quer dar a ele.

 

Transformação

Com os materiais prontos, é possível fabricar um novo produto, fechando o ciclo da reciclagem.

 

RECICLAGEM EM TERESINA

Em Teresina, existem 14 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) de material reciclado. Como explica a coordenadora de Limpeza Pública da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), Lílian Guimarães, o processo de conscientização da forma de selecionar e depositar o lixo tem sido feito especialmente em escolas. “Nós temos, atualmente, uma dificuldade muito grande especialmente da conscientização em algumas zonas da cidade por parte dos adultos. Quando é feita a coleta, nos deparamos com lixo orgânico e até mesmo roedores mortos que são depositados nos PEVs. Diante dessa situação, nós iniciamos, por meio da Equipe de Educação Ambiental específica da coleta de material reciclável, palestras de conscientização nas escolas, como forma também de iniciar pelas crianças esse entendimento” explica.

“Uma realização que temos feito e que vem dado muito certo é a colocação de Pontos de Entrega Voluntária em empresas e condomínios e isso pode ser requisitado por qualquer empresa e pelos próprios condôminos. Quando os moradores de um condomínio querem colocar este ponto, eles entram em contato conosco, a equipe vai até o local, realiza uma palestra com os moradores explicando os detalhes, até porque os dias de coleta são diferenciados, o destino desse lixo também. Sem falar que é um serviço totalmente gratuito e o mesmo processo se aplica à empresas”, afirma a coordenadora.

Para o ambientalista Avelar Amorim, é necessária uma conscientização da população para que o lixo selecionado seja reutilizado o máximo possível. Como ele afirma, esse processo é também cultural “Países desenvolvidos que têm maior incentivo até mesmo à tecnologia, especialmente na Europa, já fazem essa seleção utilizando quase 100% de todo o lixo na produção de energia. E não precisamos ir tão longe, aqui no Brasil, em Minas Gerais, é realizada essa coleta com essa finalidade. Isso significa mudar e reaproveitar. Não destinar somente à aterro sanitários e, sim, reaproveitar para gerar energia, que, conseqüentemente, gera emprego e renda para a população. É algo que poderia ser pensado e aproveitado, uma vez que traz esse benefício para a cidade e o estado”, pontua.  

Faça parte desse processo. Utilize os 3R’s do consumo sustentável.

 

Paz e Bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *