Prova criativa movimenta as equipes antes da XXXIV Gincana Cultural

A “XXXIV Gincana Cultural: Teresina meu amor” trouxe para o prédio do IDB Centro uma explosão de criatividade e irreverência através da tarefa especial nº 3, que está sendo executada nas quadras Dirceu Arcoverde e Barretinho até as 19h desta sexta-feira, 4.

“O que pode e o que quer esta(s) línguas(s)” é o nome da prova em que as equipes Aquicalá e Brazundanga têm a missão de promover encontros inesperados entre obras, técnicas/linguagens e tempos históricos através de uma exposição das artes do Brasil, tendo como ponto de partida obras literárias como: “Memória Postumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Mello Neto entre outras.

Cada equipe teve que escolher apenas um aspecto para representar cada obra, tais como: Representação do Ambiente (arquitetura); Elaboração de uma trilha sonora; Instalação (escultura); Representação Gráfica (desenho, pintura, história em quadrinhos); Fotografia, Dança, Cena Teatral; Curta (cinema); Um texto (comentário, crítica, resumo, releitura etc. e Jogo Interativo (digital ou não). A prova pôde contar, também, com a ajuda de ex-alunos do IDB.

EQUIPE AQUICALÁ

A equipe Aquicalá escolheu “Seja como flor” para dar nome à exposição que traz manifestação das 10 obras literárias. A representante da equipe, Amanda Nunes, da 2ª Série do Ensino Médio, explica de onde veio a inspiração para a escolha do nome. “Nós escolhemos esse nome referenciando a Flor do Lácio. Ela é mencionada na música Linda, de Caetano Veloso, e remete à Língua Portuguesa. Então, nós usamos “Seja como for, seja o que come flor”. É como se você tivesse deglutindo a Língua Portuguesa na nossa exposição”, explica.

Segundo Amanda, as 10 obras literárias trazem um diferencial na exposição da equipe Aquicalá: “Todas as obras inovam na linguagem. Elas estão sempre indo além do visual, explorando a língua de uma forma diferente”.

  EQUIPE BRAZUNDANGA

 “Nada novo” é o titulo da exposição da equipe Brazundanga, que ocupa o espaço da Quadra Poliesportiva Barretinho. Louise Sabino explica que o nome se dá, especialmente, pelo conteúdo apresentado na exposição. “Esse nome saiu de um dos livros trabalhados aqui que é o Estórias da Casa Velha da Ponte, de Cora Coralina. Nós escolhemos esse nome porque, na verdade, a nossa exposição não traz nada realmente novo, traz apenas releituras de obras através de diversos tipos de arte. A gente pegou as obras que vieram na prova e escolhemos mais cinco, incluindo uma piauiense, e retratamos uma através de texto, outra através da arquitetura, entre outras”, explica.

As equipes serão avaliadas pelos seguintes critérios: criatividade/originalidade, adequação à proposta, interatividade, estética, conteúdo/pesquisa, execução e presença/participação da comunidade dombarretana; podendo acumular de 0 a 200 pontos a depender do critério de avaliação.

A “XXXIV Gincana Cultural: Teresina Meu Amor” acontecerá no dia 16 de Agosto, no Iate Clube de Teresina, a partir das 8h.

Paz e Bem