Alunos do IDB são classificados para a fase final da 11ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

O Instituto Dom Barreto aprovou 4 equipes para a fase final da 11ª ONHB – Olimpíada Nacional em História do Brasil, organizada pela UNICAMP – Universidade de Campinas. Dentre as 4 equipes selecionadas do IDB, a equipe composta pelos alunos Edson Neto, Victor e Álvaro conquistou o primeiro lugar no Piauí dentro da competição. Em 2019, foram mais de 18 mil equipes inscritas de todo o Brasil. Destas, apenas 314 foram selecionadas para a fase final da Olimpíada.

As equipes do IDB classificadas para a fase final foram: a “Peregrinos da Alvorada”, composta pelos alunos da 2ª Série do Ensino Médio, Edson Neto, Victor Oliveira e Álvaro Nogueira, que garantiram o primeiro lugar do Piauí; a “Equipe 1000”, composta pelas alunas Isabella Lísia, Maria Clara Leitão, Lívian Sepúlveda, também da 2ª Série do Ensino Médio; e a equipe “Voir”, composta pelas alunas Amanda Evangelista, Mariana Menezes e Maria Cláudia, da 3ª Série do Ensino Médio, sendo estas 3 equipes orientadas pela professora de História do IDB, Laura Brandão. A 4ª equipe classificada foi a “Primavera de Praga”, que é composta pelas alunas Beatriz Ramos, Gustavo Rocha e Hannah Bezerra, da 3ª Série do Ensino Médio, e orientada pela professora Daiane Portela.

A Olimpíada Nacional em História do Brasil é realizada por equipes compostas por 4 pessoas: 3 estudantes (que podem estar em diferentes séries) e o(a) professor(a) de História, responsável pela equipe. O(a) professor(a) pode orientar quantas equipes desejar, mas cada estudante pode fazer parte de apenas uma equipe. Nesta competição, participam os alunos dos 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de todo o Brasil. A proposta da Olimpíada é estudar a História do Brasil de forma inovadora, abordando temas fundamentais a partir de documentos históricos, imagens, mapas, textos acadêmicos, pesquisas inéditas e debates historiográficos.

A professora de História do IDB, Laura Brandão, conta que além dos resultados na classificação para a final, a participação dos alunos na Olimpíada foi um diferencial neste ano. “O dado mais importante para nós é a ampla participação dos alunos e das alunas na ONHB, e o crescente gosto deles pela disciplina. Tivemos mais de 50 equipes do IDB e da Escola Madre Maria Villac participando, sendo que cada equipe era composta por 3 alunos(as). Portanto, 150 alunos estiveram envolvidos nas atividades e desenvolveram várias habilidades como pesquisa, escrita, análise de documentos, leitura de imagens, músicas. Além, claro, de ser essencialmente sensível e de ajudá-los a entender melhor outras experiências e não apenas as que estão próximas de si”, pontua a professora.  

O aluno Edson Neto da equipe “Peregrinos da Alvorada”, classificada em primeiro lugar no Piauí, conta que dedicação e experiência foram fundamentais para atingir o resultado. “A preparação para a Olimpíada foi tranquila. Nossa equipe já havia participado da Olimpíada ano passado, então já tínhamos certa experiência em como resolver as questões e as tarefas. Foi um mês e meio resolvendo as trabalhosas seis fases online, e, no fim, fomos classificados como  os melhores do Estado, então temos uma sensação de dever cumprido e a expectativa por alguma medalha”, conta o aluno que confessa estar ansioso pela viagem.  

 

SOBRE A ONHB

A Olimpíada Nacional em História do Brasil é um projeto de extensão da Universidade Estadual de Campinas, desenvolvido pelo Departamento de História por meio da participação de docentes, alunos de pós-graduação e de graduação, com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações (MCTIC), por meio do edital de Olimpíadas Científicas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A final da 11ª edição será realizada nos dias 17 e 18 de agosto, na Unicamp, em Campinas-SP. No primeiro dia (sábado), as equipes realizarão a prova dissertativa, presencialmente, durante a manhã. O resultado será comunicado na manhã de domingo em uma cerimônia festiva, ocasião em que serão distribuídas 15 medalhas de ouro, 25 de prata e 35 de bronze, de acordo com a pontuação. Os demais receberão medalhas de honra ao mérito.

Neste ano, os medalhistas de ouro e prata da 11ª ONHB poderão concorrer a duas vagas no curso de graduação em História da Unicamp. A oportunidade foi uma deliberação do Conselho Universitário (Consu), em parceria com a coordenação da ONHB, e faz parte do edital de “Vagas Olímpicas”, implantada de forma inédita em 2018, com o objetivo de ampliar o acesso à universidade.

 

Parabéns, brilhantes!

Paz e Bem

Fonte: www.olimpiadadehistoria.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *