Fábio Brotto ministra seminário sobre Pedagogia da Cooperação para FHB

Teve inicio ontem, 30 de janeiro, no Núcleo Professor Marcílio Flávio Rangel de Farias o módulo Pedagogia da Cooperação da I Turma de Formação Holística de Base Piauí. A FHB é um programa da Universidade Internacional da Paz, UNIPAZ, que promove a formação de pessoas na perspectiva da visão transdisciplinar holística, estimulando-as à reflexão e à crítica, com o propósito de torná-las agentes de mudanças nos níveis do indivíduo, da sociedade e da natureza.

Fábio Otuzi Brotto, mestre em Educação Física, facilitador credenciado do “Jogo da Transformação”, co-fundador do Projeto de Cooperação e criador de pós graduação Jogos Cooperativos, irá ministrar a formação, que continuará durante todo este sábado, 31.

A Pedagogia da Cooperação é um caminho de ensinagem compartilhada, onde cada pessoa é considerada mestre-aprendiz, convivendo a descoberta de si mesmos e do mundo, através do encontro com os outros, diante de situações-problema que o desafia a encontrar soluções cooperativas para o sucesso de todos e para o bem-estar comum. Este ensino pode ser percebido como um conjunto de sinais, indicadores, pistas e toques, para orientar a caminhada daqueles que se aventuram pelas trilhas da Cooperação rumo ao centro essencial de sua própria Comum-Unidade.

Fábio Brotto integra o Projeto Cooperação, organização criada em 1982 com o objetivo de promover ações dentro e fora da escola, empresas e nas comunidades, onde possam estimular mais a cooperação do que competição.

“Diariamente a exigência da qualidade no nosso ambiente de trabalho está aumentando e ao mesmo tempo isso está nos levando a uma maior consciência da necessidade de promover mais colaboração para poder casar uma maior produtividade e ao mesmo tempo uma melhor qualidade de vida dentro das empresas. E isso é mais possível através da colaboração”, afirmou Fábio Brotto.

Durante o encontro realizado Fábio irá desenvolver, junto com os participantes, metodologias para promover a cultura de paz. “Estamos dentro da Formação Holística de Base da Unipaz e tem como principal objetivo estabelecer metodologias para promover a cultura de paz. Então o trabalho que esse seminário vai focar é como a Pedagogia Cooperativa podem ajudar a promover a cultura de paz dentro e fora das organizações. Através da Pedagogia da Cooperação podemos compartilhar conhecimentos e experiências que certamente irão ajudar a promover cooperação em sala de aula, na escola como um todo e na sociedade de forma geral”, explicou Fábio.

Segundo dia do seminário

O módulo sobre Pedagogia da Cooperação para FHB continuou durante o sábado, 31 de janeiro. Dentre as conversas e palestras, Fábio Brotto destacou que a proposta do seminário é compartilhar as sete práticas que ajudam a criar ambientes cooperativos para que as pessoas possam vir a ser o que elas são de verdade, seja na escola, em casa, na empresa ou na comunidade.

“Desta forma, as pessoas se sentem mais à vontade para se apresentarem como são. Tudo isso incluído dentro da cultura de paz. Mas é preciso lembrara que parta haver paz é preciso haver respeito pelas diferenças. Não só isso, mas perceber que juntos podemos conseguir fazer alguma coisa que sozinho não faríamos”, acrescenta.

Já as sete práticas da Pedagogia da Cooperação são estas: Primeira: fazer contatos e com isso aproximar as pessoas; Segunda: ter a habilidade de estabelecer relações respeitosas que contribuam para o bem estar; Terceira: compartilhar, o que a gente pode saber juntos que só podemos saber juntos, esta prática lida com as inquietas ações e demonstra que as pessoas precisam uma das outras; Quarta: é preciso fazer alianças e ter parceiros, fortalecendo as relações; Quinta: ter soluções comuns descobertas juntos; Sexta: levar adiante as soluções comuns com os projetos de cooperação para o dia a dia; Sétima: celebrar o ven‘S’er, que significa “vir a ser” mais completamente quem você é.

“É necessário fazer esta provocação com a palavra vencer para que se perceba que através da cooperação a gente pode chegar mais perto do que somos realmente”, conclui Fábio Brotto.