Campanha IDB de Acessibilidade é sucesso e tem retorno positivo da comunidade

Acessibilidade, já diz a lei, é o direito de todos os seres humanos de ir e vir. Procurando conscientizar e sensibilizar ainda mais a comunidade dombarretana, o IDB trabalhou intensamente durante todo o mês de abril com a “Campanha IDB de Acessibilidade Paz e Bem no Trânsito”, que enfocou sobre o respeito ao próximo no trânsito e sobre a importância da acessibilidade para as pessoas que possuem alguma deficiência.

Durante a Campanha, falamos sobre as legislações que abrangem esse tema, fizemos entrevistas exclusivas com pais de crianças da Escola que têm alguma dificuldade de locomoção e mobilidade, entrevistas com psicólogas, com a direção da Escola, sempre buscando mostrar aos nossos alunos e suas famílias as reais necessidades sentidas, diariamente, por essas crianças e adolescentes que possuem alguma dificuldade ou algum tipo de deficiência.

O resultado da Campanha foi bastante satisfatório. Diariamente enquanto o portal e as redes sociais eram atualizados com informações ou notícias sobre acontecimentos específicos da Campanha, a participação era constante. Pais, alunos, antigos alunos, e professores comentavam as imagens e compartilhavam as atualizações, levando as informações ao conhecimento de outros públicos. Eram comentários parabenizando, dando exemplos e sugestões para a Escola seguir firme com essa intenção de sensibilizar e chamar atenção para atitudes que tragam mais respeito e mantenham viva a chama de fazer sempre o bem e buscar se colocar no lugar do outro, com simples gestos de respeito e gentileza.

Os pais dos alunos do IDB comentaram sobre a campanha e o reflexo que está causando no nosso dia a dia. Neuma Ramos, mãe dos alunos Ana Beatriz e João Pedro Milhome, comenta que acompanhou direto toda a campanha através do portal, Facebook e Instagram e achou a ideia excelente.

“Só quem passa pelas dificuldades que um deficiente tem, sabe a importância dessa campanha. Li todas as entrevistas e elas mostram o lado complicado na vida dessas crianças, que a maioria de nós não tem e, por falta de sensibilidade, não respeita suas necessidades. Meu pai usava bengala constantemente, tinha muita dificuldade em andar e caiu diversas vezes por causa de buracos, falta de rampas etc., por não ter firmeza no andar e porque a cidade não foi feita para pessoas com problemas motores. E isso, para os parentes, dói muito. É o cerceamento do seu direito de ir e vir, é exclusão e é muito triste. Como as três mães disseram na entrevista, todos deveriam se colocar no lugar dos deficientes e agradecer a Deus por não precisar depender da consciência das outras pessoas para poder fazer valer seus direitos. Acho, inclusive, que essa campanha deveria se estender por toda cidade, para atingir o maior número de pessoas. Por isso, sempre compartilho as entrevistas no meu Facebook, fazendo meu trabalho de formiguinha, sim, tentando ajudar”, comentou Neuma.

Lidiana de Siqueira Nunes, mãe da doce e determinada Maria Luíza, foi uma das mães entrevistadas durante a Campanha. Maria Luiza nasceu portadora de uma miopatia congênita de origem genética que acomete a sua força muscular desde os primeiros dias de vida e afeta a sua capacidade de andar. Então, para Lidiana, a Campanha foi de extrema importância. “Quando a campanha iniciou, fui pessoalmente parabenizar a Direção pelo colégio ter abraçado a causa da acessibilidade, incentivo ao respeito entre todos e consolidação da educação. Gostei da forma como está sendo abordada e gostaria que, com o tempo, a causa maior, de respeito e acessibilidade, possa se firmar e ser fortalecida. Respeito e acessibilidade devem ser oferecidos diariamente. Acho que o colégio deve reforçar esse tipo de postura por muito tempo. Afinal, mudança de comportamento é algo demorado”, afirmou Lidiana.

Ficamos muito felizes pelo retorno positivo das mães dos nossos brilhantes amanhãs. Educar é uma tarefa constante, sem pausa. Nunca paramos de ensinar, muito menos de aprender. Contamos com o respeito e a consciência da nossa comunidade, que é cidadã e respeita os direitos dos próximos para mantermos a acessibilidade e a Paz e o Bem no Trânsito.

Desejamos a todos Paz e Bem!