Em atitude solidária, alunos realizam campanha para arrecadar fundos para Pedro Augusto

20150616051358A solidariedade é um ato de bondade com o próximo, um sentimento que nos faz agir pensando apenas no bem, no conforto, no carinho e no amor ao nosso semelhante. Este ato é um dos pilares da filosofia do Instituto Dom Barreto, que reflete diretamente nas ações dos nossos jovens alunos. Os dombarretanos que participam do Grupo de Jovens Crismados, sensibilizados e preocupados com a saúde de Pedro Augusto, fizeram um lindo gesto de amor.

Ao saber da Campanha em prol da vida do nosso pequeno brilhante amanhã, os Jovens Crismados “Pescadores de Cristo” juntos com os “Semeadores da Fé”, mobilizaram-se e fizeram uma campanha interna, movendo e destacando a importância da doação para quem precisa e o quanto uma ação de amor pode fazer uma grande diferença na vida do nosso semelhante.

O grupo Jovens Crismados é formado por alunos já crismados, que desejam continuar atuantes na Igreja, unidos pela fé. Os jovens partilham de experiências que permitem conhecer-se melhor, acolher e a compreender o outro, tornando se ainda conscientes e participativos na Igreja e na comunidade. Ao se formar, cada turma de crismados recebe um nome específico, referente aos objetivos dos participantes. “Por exemplo, o nome da turma de crismados em 2014 é Semeadores da Fé, do qual faço parte, e o grupo deste ano, 2015, é Os pescadores de Cristo”, explica Francisco Anderson, uns dos coordenadores e participante do grupo.

Cerca de trinta pessoas compõem atualmente o Grupo Jovens Crismados, integrados pelos componentes do grupo de 2013, “Semeadores de Fé”, hoje alunos da 3ª Série do Ensino Médio, chamados também de velha guarda, por serem os remanescentes do grupo do ano passado e pelos componentes do grupo de 2014, “Pescadores de Cristo”, estudantes da 2ª Série.

A primeira vez que grupo Jovens Crismados fez uma ação mobilizadora foi em 2013, para ajudar Caio Augusto, uma criança que havia sido diagnosticado com Leucemia, em 2010, aos dois anos de idade e estava na luta para manter o tratamento e na busca por um doador compatível de medula óssea. Os responsáveis pelo trabalho de divulgação e pedidos de ajuda na escola foram os jovens do “Sal da Terra” e “Filhos do Mundo”.

Em 2014, os jovens ajudaram Rayssa Rego, diagnosticada aos quatro meses de vida com Amiotrofia Muscular Espinhal (AME), uma patologia genética recessiva degenerativa que afeta as células do corno anterior da medula, resultando em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários. E este ano, Rayssa foi novamente assistida pelo grupo, assim como o nosso guerreiro Pedro Augusto Nunes. “O espírito solidário faz parte do grupo. O ato de ajudar é uma filosofia do grupo”, afirma Francisco Anderson.

Anderson destacou que a ação não seria possível sem a ajuda do IDB. “Queremos agradecer a Escola, pois ela disponibilizou que os alunos saíssem das suas salas para poder arrecadar nas demais. Passamos em todas as salas dos dois prédios da Escola. E a sensibilização de todos nos deixou bastante impressionados. Principalmente ao percebermos o interesse e preocupação das crianças da Educação Infantil”, disse o jovem.

A ideia deste ato surgiu durante um encontro. “Toda quarta, na hora do primeiro recreio, o grupo todo se reúne e decidimos as atividades que vamos fazer a curto, médio e longo prazo. Em uma dessas reuniões nós debatemos sobre o tema doação. Porque nós, da velha guarda, já temos uma bagagem, por conta da campanha da Rayssa. Então queríamos mostrar ao novo grupo, os Pescadores de Cristo, a oportunidade de conhecer o trabalho de doação. Eles aceitaram e logo falamos com a Direção. No dia seguinte já estávamos nas salas divulgando e compartilhando essa ideia, com amor”.

João Victor Lima, que também faz parte do grupo Semeadores da Fé, junto com Francisco Anderson, comentou, emocionando, o quanto foi significante participar deste movimento. “Participar e ajudar é muito gratificante. Não falo apenas pelo grupo, porque não foi apenas o grupo, mas sim, toda a escola. Foram várias pessoas que ajudaram, que eu sabia que iriam ajudar. Então não foi só minha atitude, mas de todos que doaram e ajudara muito”.

Francisco Anderson compartilha da mesma emoção de João e fala em nome do grupo. “É muito excelente essa oportunidade que a Escola nos dá para mostrarmos nosso ludo humano. Porque tem muita gente que imagina que nós, alunos do Instituto Dom Barreto, só estudam, parecendo máquinas. Mas não é isso. Nós temos o grupo Jovens Crismados. Nós temos o lado humano e é muito bonito mostrar isso e fazer essa ação nascer nas gerações de agora. Por exemplo, com os pequenos da Educação Infantil. Porque já plantamos a sementinha com essa ação. Porque nós, da velha guarda, o Semeadores, já começamos a plantar a sementinha que fez com que essas crianças vissem o quanto era importante a doação, a caridade, a ação de ajudar o próximo”.

O valor arrecadado já foi depositado na conta da mãe de Pedro, Amanda Torres, e na conta da Rayssa Rego. Ver os jovens fazendo uma caminhada em grupo, mobilizando a escola, compartilhando solidariedade, amor, sendo voluntários, crescendo na fé, no relacionamento com o outro e consigo mesmo, na consciência crítica e na ação prática, nos traz boas expectativas de que serão esses jovens que evangelizarão outros jovens e serão mais humanos. Parabenizamos o grupo Jovens Crismados, os remanescentes Semeadores da Fé e os atuantes Pescadores de Cristo pela ação solidária e por ajudar, com tanto amor, a quem precisa.

Paz e Bem!