Era uma vez o Dia das Crianças

20151010143951“Ser criança é brincar, aprender algumas coisas novas, é rir, é assistir teatro, e também fazer esse teatro”, foi assim que Pedro Inácio, um dos estudantes do IDB, de apenas 5 anos, definiu ser criança. E ele tem toda razão, ser criança é encantar os palcos da vida com todas as performances possíveis, é entrar no mundo da imaginação sem ter hora para sair, é ter a liberdade de apenas viver, sem os limites que cercam o mundo de gente grande. Hoje é comemorado o Dia das Crianças, e por que não o Dia do amor? Pois não existe um ser tão puro e que queira tão bem a todos ao seu redor, com apenas o interesse de também ser amado.

O Instituto Dom Barreto ver a criança como um ser que merece ser amado, respeitado e, acima de tudo, como um ser que tem a liberdade de ensinar a todos os educadores, com suas maneiras de ver a vida. Pensando nisso, o IDB resolveu preparar uma programação recheada de amor, recreação, cultura, literatura e diversão. A Semana da Criança reuniu todos os seres mágicos do Reino Encantado, e escreveu, junto com elas, uma bela história do Era uma vez… Todos os alunos entraram nesse mundo e ensinaram que a magia mora dentro de cada pessoa, e não apenas nos livros. Encantaram e animaram os pais, alunos, familiares, professores e funcionários, e trouxeram, em cada apresentação, a arte e a alegria de viver.

A professora Lidiani Lustosa, explicou que ser criança é fazer parte dessa brincadeira de aprender e de ensinar, ressaltando que a escola não se prende apenas ao conteúdo, mas usa o lúdico como uma forma de interagir e ensinar as crianças.

“A verdade é que a gente não ensina, nós compartilhamos com as crianças alguns ensinamentos, porque eles nos ensinam muito mais. Nosso intuito é fazer dos alunos, crianças felizes, que se divertem e que possam aprender com essa diversão, por isso, nós aliamos, o conteúdo com o lúdico, e usamos essa visão deles, de estarem sempre descobrindo coisas novas, para aguçar sua imaginação. Nós trazemos novidades para eles, mas termina sendo uma troca, porque eles também trazem muitas novidades, muitas coisas novas. As crianças participam da construção do ensino, não apenas sentam e escutam, na verdade,  elas interagem, manipulam, tocam, sentem as coisas acontecerem, eles aprendem na interação.”, disse.

Ser criança é?

Não foi só Pedro Inácio que quis falar sobre o que é ser criança, muitas outras também desejaram compartilhar sua visão sobre essa fase linda e encantadora da vida.  Geovana Maria (5 anos), estudante do Infantil II, afirmou: “Ser criança é brincar, ser alegre, e os meus pais sempre cuidarem de mim, me dando muito carinho. E na escola, é sempre estudar e respeitar as pessoas”.

Já para Mariane Ferraz (11 anos), do Ensino Fundamental, ser criança é brincar, estudar, cumprir seus deveres, e acima de tudo, amar sua família. Ser criança é ser livre. A estudante, Laís Linhares (11 anos), finalizou explicando que “Ser criança é estudar e pensar no seu futuro, mas sem deixar a liberdade de mão. É ver sempre os problemas como uma brincadeira e ser leve enquanto dá tempo, porque quando a gente chegar à maioridade, nós vamos ter muitos problemas para resolver, e enquanto sou criança, sempre tenho alguém para me ajudar”, pontua.

Origem da data

Oficialmente, uma das primeiras convenções sobre uma data comemorativa internacional em homenagem à criança, aconteceu em 1925, durante a Conferência Mundial pelo bem-estar da criança, realizada em Genebra, Suíça. Nessa ocasião, o dia 1º de junho ficou marcado como o Dia Internacional da criança. No ano anterior, 1924, a então chamada “Liga das Nações” fundou a “Declaração dos Direitos da Criança”, para fundamentar os cuidados especiais que deveriam ser tomados em relação a todas as crianças diante da fragilidade do ser humano em sua infância. Dessa medida surgiram atos legais que proibiram o trabalho infantil e a violência contra a criança.

Tempos depois, em 1954, durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, o dia 20 de Novembro foi estabelecido como o Dia Universal da Criança. O objetivo era encorajar os demais países a estabelecerem uma data para promover ações que garantiriam direitos e o bem-estar da criança. Em 1959, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a “Declaração dos Direitos da Criança”, com algumas modificações, e cada país passou a estabelecer uma data comemorativa para celebrar os direitos da criança.

Porém, o Brasil já havia separado uma data para celebrar o Dia das Crianças, ainda na década de 1920. O deputado federal do Rio de Janeiro, Galdino do Valle Filho, conseguiu a aprovação da lei, em 1924, que instituía o dia 12 de Outubro como o Dia da Criança.

Paz e Bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *