Alice Através do Espelho – 2016

Na sequência do filme da Disney lançado em 2010 e dirigido por Tim Burton, “Alice através do espelho” tem início com Alice (Mia Wasikowska) acordando no estranho e intrigante País das Maravilhas mais uma vez. De volta, ela descobre que terá de conhecer um universo paralelo e enfrentar a ameaçadora personificação do Tempo (Sacha Baron Cohen) para salvar o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) e todo o País das Maravilhas. O elenco conta ainda com Helena Bonham Carter, no papel da Rainha Vermelha e Anne Hathaway, no papel da Rainha Branca.

“Alice no País das Maravilhas” (2010) foi um sucesso estrondoso, superando as melhores expectativas da Disney, com uma bilheteria superior a US$ 1 bilhão. Em Hollywood esse tipo de recepção a um filme impõe uma continuação.

James Bobin foi quem assumiu a direção do novo longa, e preservou a aura ‘burtoniana” em seu “Alice” e se beneficiou de um roteiro melhor. “Alice Através do Espelho” mantém a estranheza do original, as cores e a afetação, mas tem menos ruído e gorduras narrativas. O ritmo é melhor e a trama, com uma bem-vinda pitada feminista, mais inteligente e, consequentemente, menos infantilizada.

Alice Através do Espelho

Após retornar de uma longa viagem a bordo do Maravilha, o navio herdado de seu pai, Alice (Mia Wasikowska) precisa lidar com as dívidas da família que aumentaram durante o período em que esteve fora. No meio dessas tratativas, novamente como um escape da dura realidade, ela atravessa o espelho e volta para o País das Maravilhas. Lá ela acaba descobrindo que o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) está sofrendo de uma grande depressão. Incitada por Mirana (Anne Hathaway) ela topa viajar no tempo para tentar alterar o passado e salvar o Chapeleiro.

Mas o implacável Tempo não pode ser vencido e o histrionismo de Sacha Baron Cohen é a luva perfeita para o Tempo de “Alice Através do Espelho”. Arrogante, Workaholic e perdidamente apaixonado por Iracebeth (a divertida e lunática rainha vermelha vivida por Helena Boham Carter e banida do País das Maravilhas no fim do primeiro filme), o Tempo é um personagem e tanto.