Antigos alunos desenvolvem recurso tecnológico para retirada de tumores renais

O termo “Brilhantes Amanhãs”, dado aos alunos do Instituto Dom Barreto não é por acaso. Diariamente nos surpreendemos com vitórias e desafios encarados pelos alunos e antigos alunos dombarretanos. Hoje, citamos um trabalho que antigos alunos desenvolveram e que chamou atenção de especialistas do mundo inteiro, além de ser um grande avanço na área da medicina.

O médico urologista, Aurus Dourado, idealizou e Alexandre Tolstenko, professor do IDB da disciplina de Games e Engenheiro da Computação, transformou em realidade um procedimento para facilitar e tornar mais eficaz a cirurgia para retirada de tumores renais.

 A ideia surgiu do desejo de Aurus em trabalhar um método mais preciso que a Tomografia Computadorizada para a remoção de tumores renais. A Tomografia Computadorizada é um exame complementar de diagnóstico por imagem, que consiste numa imagem que representa uma secção do corpo. É obtida através do processamento por computador de informação recolhida após expor o corpo a uma sucessão de raios X. “A tomografia computadorizada é um método de imagem fundamental, que nos dar uma noção muito boa do tumor e da vascularização. Entretanto, para o cirurgião, ele tem algumas limitações”, explica Aurus.

 Portanto, Alexandre Tolstenko criou o procedimento, unindo a tecnologia em 3D ao principio de jogos interativos. O método funciona de seguinte forma: com o sensor de movimento conectado ao notebook, o médico pode, virtualmente, manusear o rim do paciente, além de localizar e planejar como chegar até ele sem comprometer o órgão do paciente.

 “A ideia é fazer que o médico interaja com o computador sem a necessidade de ter o toque. Porque o toque pode trazer problemas para o paciente, como bactérias, por exemplo. Durante a cirurgia, qualquer dúvida, ele tem um tira-teima  ali do lado, que não terá problemas”, explica Alexandre.

 Para o urologista, a união da tecnologia e da medicina traz grandes benefícios aos pacientes que necessitam de melhores resultados. “As novas tecnologias são uma realidade que serão mais frequentes a cada dia que passa e a medicina tem muito a ganhar e a se aprimorar com essa proximidade”, comentou Aurus.

O trabalho foi destaque na mídia local, no programa Piauí TV 2ª Edição, da última quarta-feira, 14 de julho, e pode ser conferido na integra. Basta acessar o link: http://g1.globo.com/pi/piaui/pitv-2edicao/videos/t/edicoes/v/medico-e-engenheiro-de-softwares-piauienses-desenvolvem-tecnica-que-simula-orgaos/4322079/ .

 Parabenizamos nossos dombarretanos pelo trabalhado de alta significância na medicina e na área tecnológica, além do reconhecimento dos especialistas das áreas de atuação de cada profissional. É um projeto que enche, sem dúvidas, a comunidade dombarretana de orgulho.

Paz e Bem!