Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos

whatsapp-image-2016-09-27-at-14-15-02O Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos ocorre no dia 27 de setembro. O Sistema Nacional de Transplantes (SNT), instituído em 1997, é a instância responsável pelo controle e monitoramento dos transplantes de órgãos, de tecidos e partes do corpo humano, realizados no Brasil.

A campanha do Ministério da Saúde para incentivar e conscientizar as famílias sobre a importância da doação tem o slogan “Viver é uma grade conquista. Ajude mais pessoas a serem vencedoras” e tem como tema a alusão ao esporte e aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. Atletas transplantados serão os protagonistas da campanha.

A atividade de transplante de órgãos e de tecidos teve início, no país, nos anos 1960, com a realização dos dois primeiros transplantes renais, e, em 1968, foi realizado o primeiro transplante de coração em território nacional. Desde então, de acordo com o Portal da Saúde, os transplantes no Brasil evoluíram consideravelmente no que se refere às técnicas, aos resultados, à variedade de órgãos transplantados e ao número de procedimentos realizados.

Qualquer pessoa pode doar órgãos, desde que concorde com a doação e que não prejudique a sua saúde. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, e da medula óssea ou parte do pulmão. De acordo com a legislação, parentes até o quarto grau podem ser doadores. Não parentes, somente com autorização judicial. Nos casos dos doadores falecidos, é preciso a constatação de morte encefálica, geralmente vítimas de dano cerebral irreversível, como traumatismo craniano ou acidente vascular cerebral (AVC), e é necessário o consentimento da família.

O Brasil é referência mundial em transplantes. Em 2015, foram realizadas 23.666 cirurgias; 1.164 órgãos e 2.409 tecidos foram transportados. Houve ainda 110 órgãos e 219 tecidos transferidos por meio de voos fretados e transportes terrestres em parceria com as Centrais Estaduais de Transplantes.

Segundo dados do Ministério da Saúde, entre janeiro e junho de 2015, 4.672 potenciais doadores foram notificados, resultando em 1.338 doadores efetivos de órgãos. Essas doações possibilitaram a realização de 12,2 mil transplantes. Nesse mesmo período, o Brasil alcançou a maior porcentagem de aceitação familiar que foi de 58%, superando os demais.

A rede brasileira conta com 27 centrais estaduais (em todos os estados e Distrito Federal), além de Câmaras Técnicas Nacionais, 510 Centros de Transplantes, 1.113 equipes de transplantes e 70 Organizações de Procura de Órgãos. Entre 2010 e 2014, houve aumento de 4,9% na quantidade de serviços habilitados pelo Ministério da Saúde para realizar transplantes (passando de 740 para 776) e com isso o número de pessoas aguardando por um transplante caiu 36% nos últimos quatro anos (59.728 pessoas em 2010, e 38.350, em 2014).

Paz e Bem!