Feira do Conhecimento 2019: tecnologia a favor da educação e da saúde

 

 

Uma tarde inteira foi pouca para o mundo de soluções inovadoras e ideias fantásticas apresentadas pelos nossos alunos do 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental e da 1ª e 2ª Séries do Ensino Médio na Feira do Conhecimento do Instituto Dom Barreto, realizada na última quinta-feira, 24 de outubro, que teve como tema este ano “Tecnologia aplicada à Educação e à Saúde”. Foram no total 63 projetos com soluções empreendedoras que abordaram dentro do tema pontos da área da Sustentabilidade e da área Social.

Nossos alunos a soltaram criatividade e, com a visão inovadora, fascinaram os visitantes, que saíram com as esperanças renovadas para a construção de um mundo melhor.  Anteriormente, a Feira do Conhecimento era chamada de Feira de Ciências. Mas a mudança de nome foi realizada com o intuito de alcançar mais áreas, buscando mostrar e focar as melhorias que essas áreas alcançaram e estimulando a criatividade dos alunos. Afinal, a tecnologia não para de avançar e muitas áreas são beneficiadas com esse crescimento. Então, nos perguntamos: como nossos estudantes poderiam ajudar a solucionar problemas específicos criando algum serviço ou produto para a nossa capital, para o nosso país ou até mesmo para o mundo?

Por um mês, os alunos se aprofundaram nos estudos para trazer à realidade os projetos sonhados, executando cada etapa do processo com a criação de aplicativos para apresentar e mostrar suas funcionalidades no dia da Feira. O professor dos Laboratórios de Física e Maker e de Robótica, Max Samuel, orientou vários projetos, entre eles, o “Aplicativo de Libras para Deficientes Auditivos”, dos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental. Segundo o professor, os estudantes deram o seu melhor e se destacaram em cada processo criativo durante a execução do projeto.

“Os alunos fizeram um aplicativo de Libras para auxiliar pessoas que sofrem com a perda de audição. Eles mesmos gravaram vídeos para que pudessem fazer o uso no aplicativo. Foram atrás de outras fontes como, por exemplo, outros aplicativos referentes, e com o intuito semelhante, trouxeram uma intérprete para a Feira, onde ela traduzia a explicação dada por eles nos standes. Então foi uma dedicação total”, comentou o professor Max Samuel, que completou sua fala afirmando que os dombarretanos “têm autonomia diante de alguns desafios propostos a eles: Eu via a preocupação de tentar resolver o problema e, através da solução desse problema, uma melhoria para um determinado público. Foi motivador!”, concluiu o professor.

Já o professor Francisco Iago, também dos Laboratórios de Física e Maker e de Robótica, auxiliou os alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental que apresentaram o projeto “Uma nova forma de olhar”, no qual desenvolveram um dispositivo para deficientes visuais. “Eles elaboraram uma pulseira com o sensor ultrasônico que auxilia os deficientes físicos a desviar dos obstáculos. A proposta não era substituir a bengala, mas auxiliar. Ajudar a identificar possíveis obstáculos logo a frente”, explicou o professor Francisco Iago.

 

Ainda segundo o professor que auxiliou a turma no dispositivo, os alunos deram um passo ainda mais significativo. “Eles conseguiram desenvolver muito mais a visão de mundo. Pois estavam tentando aplicar a tecnologia em diversas áreas e para o dia a dia, o que certamente transformaram a forma de ver as necessidades de quem precisa de ajuda”.

Parabenizamos os 63 projetos apresentados na Feira do Conhecimento de 2019. Uma dedicação sem tamanho e um amor pelo bem movem essas mentes brilhantes diariamente!