I Feira de Ideias do Instituto Dom Barreto – As perspectivas dos alunos da Equipe de Comunicação

DSC_6858
Visão geral do Ginásio Barretinho no dia 04 de setembro.

No dia 4 de setembro, foi realizada a I Feira de Ideias do Instituto Dom Barreto, que veio como etapa de evolução do evento da escola. No último ano fora chamada de Feira do Conhecimento, e anteriormente, Feira de Ciências. Com essa mudança, trouxe uma proposta de alcançar mais áreas, tendo como objetivo melhorias nas mesmas e uma estimulação da criatividade dos alunos.

O tema deste ano, “Repensando Teresina Como Cidade Mais Humana e Sustentável”, permitiu que os alunos explorassem os problemas da capital lançando ideias para solucionar empecilhos, como o transporte público, criminalidade, mobilidade urbana, desrespeito aos direitos humanos, desperdício, quedas de energia e abandono dos animais. Sob outra perspectiva , os alunos também exploraram a cultura local, o conhecimento do teresinense sobre sua cidade e a revitalização de espaços degradados.

Um dos grupos que chamou nossa atenção foi o “Rodoviária de Teresina”, apresentado por alunos do 8º ano, que levantaram soluções para melhoria do nosso sistema rodoviário, expondo suas ideias em três idiomas (inglês,espanhol e português), mostrando a habilidade dos alunos e uma comunicação mais eficaz em um ponto tão importante para a cidade.

Outra equipe peculiar foi “HomOFFobia”, de alunos do 9º ano, que alertaram os cidadãos teresinenses sobre os índices alarmantes da cidade quanto aos casos de violência, os quais a colocam na posição de capital mais homofóbica do país.

Ainda sobre direitos humanos, devemos destacar o grupo composto exclusivamente de alunas “Violência Contra a Mulher”, que ressaltou o problema do feminicídio no Piauí, apresentando músicas temáticas  e propondo palestras acerca da igualdade de gêneros.

DSC_6745
Equipes apresentando os projetos.

Explorando a questão cultural, o grupo Teresina Antropofágica propôs a idealização de um novo espaço cultural, com direito a um planetário, um observatório e uma área para desenvolvimento da arte. Além disso, promoveram uma arte viva, com uma componente sendo pintada pelos visitantes, bem como um cinema reproduzindo curtas locais e trabalhos em argila.

“Teresina Todos Cantam Sua Terra” chamou a atenção do público, uma vez que os alunos fizeram uma representação teatral baseada no filme piauiense Aí Que Vida.

No quesito ambiental, observamos a equipe “Fogão Solar” que reproduziu um fogão a base de energia solar, que seria utilizado como fonte alternativa para população mais carente, cerca de 48% do povo. Por conta da localização de Teresina, uma cidade equatorial, a incidência de luz é alta, e infelizmente, não é aproveitada.

O evento foi visitado por pais e professores, que também foram avaliadores. A disposição dos estandes viabilizou a circulação dos visitantes, visto que o espaço não se limitou às quadras esportivas. O movimento aumentou após às quatro horas da tarde e as filas de votação estavam lotadas, mostrando a efetividade da feira.

Paz e Bem!