IDB realiza encontro entre alunos e instituições beneficiadas no Projeto Gentileza


Os alunos do 5º Ano do Ensino Fundamental conheceram, nesta segunda, as instituições que serão beneficiadas com o Projeto Gentileza do IDB.

Representantes das instituições Casa Frederico Ozanam, Lar da Esperança, Fraternidade O Caminho e Projeto Emaús Trapeiros, trocaram experiência com os dombarretanos e esclareceram dúvidas sobre os projetos com o intuito de fechar o diagnóstico de benefícios para cada entidade.

O projeto Gentileza foi criado pelo Instituto Dom Barreto para ser parte do Projeto Pedagógico da escola, que também trabalha temas transversais.

O projeto “Emaús Trapeiros” trabalha com reciclagem e a Casa Frederico Ozanam é um brigo que cuida de idosos.

A Irmã Rebeca da instituição “Fraternidade O Caminho”, que cuida de dependentes químicos e moradores cura, esteve presente no encontro e se mostrou nos disse da sua impressão sobre o projeto: “Espero contribuir com o desenvolvimento das crianças! Hoje a sociedade está perdendo valores. Pensamos muito em nós, pensamos mais no que fazemos ou temos do que nos outros. Aqui será uma valiosa troca de experiência solidária.”

O Lar da Esperança, casa que cuida de pessoas portadoras do vírus HIV, esteve representado pela coordenadora Maria das Graças Cordeiro que, emocionada, conversou com a equipe do site IDB. “Nós nos sentimos muito felizes com a visita dos pais e alunos que fazem uma festa conosco quando chegam. É importante projetos como o “Gentileza”, pois além de possibilitar a vivência, possibilita o aprendizado.”

A Rede Feminina de Combate ao Câncer do Piauí, (RFCC), a Fundação Amhor, a Escola de Música Dona Gal e a Escolhinha Prata da Casa, também são instituições que serão beneficiadas com o Projeto “Gentileza” neste ano. Durante a tarde desta segunda-feira, os representantes das instituições estiveram presentes no IDB para mais uma apresentação e troca de informações com os alunos sobre as atividades realizadas em cada uma.

A Rede Feminina de Combate ao Câncer é uma entidade filantrópica que viabiliza o tratamento e luta de combate ao câncer. O trabalho é realizado por um grupo de setenta voluntárias que realizam ações em prol do bem-estar dos pacientes oncológicos em situação de vulnerabilidade social. Já a Escola de Música Dona Gal, tem como propostaeducar musicalmente crianças e adolescentes, trabalhando o universo da música erudita e popular.


“A Escola Dona Gal precisa de acolhimento, precisa desse abraço. Porque é um projeto que está sendo reconhecido em nível nacional. Então, ficamos bem procurados. Tanto que temos alunos que vêm de Miguel Alves, de Altos, de Lagoa do Piauí, e um aluno desse vindo de longe, nós temos que ter aula, para que ele não perca seu sonho. E estamos mudando histórias de vida. Dando oportunidade a muitas crianças através da música, através da cultura e é também uma oportunidade, quem sabe até, de profissionalizar muita gente”, disse a representante e idealizadora da Escola de Música Dona Gal, Vânia Sales.

Além da Escola de Música, outra entidade de ensino também segue presente no projeto, chamada Escolinha de Futebol Prata da Casa, que foi representada pelo professor e coordenador, Alex Gomes. “A Escolinha é tocada apenas por doações. O objetivo do nosso projeto é formar cidadãos. Nunca pensamos em formar somente jogadores. Já fez nove anos agora em março. Estou muito emocionado em participar do Gentileza. É como se realmente estivéssemos colhendo nossos frutos agora”, comentou o professor.

A Fundação Amhor, que é uma Associação de Portadores de Mielomeningocele, Hidrocefalia e Transtornos Neurológicos, também fará parte do Projeto Gentileza e foi apresentada aos alunos nesta segunda-feira.

A programação se estenderá durante toda a semana e incluirá apresentações de vídeos, realizações de dinâmicas em sala de aula e, na sexta-feira, uma apresentação com grupo de capoeira e palestra com pessoas atendidas pelo CEIR-Centro Integrado de Reabilitação.