Mais uma edição de solidariedade do Projeto Gentileza do IDB.

Criado em 2015, o “Projeto Gentileza” está na sua terceira edição. O Projeto leva esse nome em homenagem a José Datrino, conhecido como o profeta Gentileza. Nascido em 1917, em Cafelândia-SP, Datrino só ficou conhecido com o nome de Gentileza quando se mudou para o estado do Rio de Janeiro, onde compartilhou com a população fluminense pinturas e mensagens que estão guardadas na memória das pessoas, infelizmente, as mensagens foram apagadas dos muros e ruas do Rio de Janeiro. Falecido em 1980, o profeta deixou um legado de amor e fraternidade através do respeito com o outro e com a natureza.

Nas fotos, alunos mostram em sala de aula, imagens da visita feita ao Movimento Emaús Trapeiros de Teresina.

Inspirados na solidariedade e bondade, os dombarretanos se envolvem, a cada ano, com diferentes projetos sociais desenvolvidos em Teresina. Na edição de 2017, os alunos do 5º Ano do Ensino Fundamental começaram conhecendo um pouco mais sobre os trabalhos desenvolvidos no Movimento Emaús Trapeiros de Teresina. Lá, eles fizeram, com pais e professores, um diagnóstico das necessidades do grupo.

 

Conheça o Movimento Emaús Trapeiros de Teresina

Fundado em 1997, o Movimento Emaús Trapeiros de Teresina é mantido por doações de objetos usados e de materiais recicláveis. Antônio Francisco, colaborador do Movimento, vê em projetos como o “Gentileza” uma esperança para a sociedade: “Nós temos um lema que é servir primeiro a quem mais precisa. Vivemos de doações e a comunidade nos ajuda doando o que não usa mais e pode ser reaproveitado. Atitudes como essa de trazer crianças para conhecer o Movimento nos dá esperança para que futuramente se tenha um zelo maior ao meio ambiente”, disse.

Primeiras atividades de 2017 do Projeto Gentileza

O “Projeto Gentileza” vem crescendo ao logo dos anos, passou de 7 instituições atendidas em 2015, para 22 com as mais diferentes demandas. Bazar, manhã de lazer e shows beneficentes, são algumas das atividades realizadas para arrecadar fundos.

Uma das idealizadoras e também participante do “Projeto Gentileza”, a professora Catarina Maria comemora o trabalho do Instituto Dom Barreto. Para ela, o Projeto quebrou barreiras e é aceito, compartilhado e incentivado por alunos, pais, professores e amigos através de uma verdadeira corrente que se formou. “Uma das principais consequências de atividades como essa é a mudança de comportamento dos alunos. O respeito pelo outro é perceptível! Outro dado importante é que os pais são bons colaboradores: nós lançamos a ideia e eles abraçaram, chegando a virar voluntários da Instituição, tornando o trabalho para a vida toda”, revela.

O Instituto Dom Barreto abraça e incentiva causas sociais e humanitárias, elas são parte do projeto pedagógico da escola.

Paz e Bem!