Projeto “Teresina, meu amor” constrói maquetes de cidade ideal

Durante o ano, os alunos do 3° Ano do Ensino Fundamental do Instituto Dom Barreto e da Escola Madre Maria Villac estudaram o município de Teresina, na disciplina de História e Geografia. No primeiro semestre, os alunos pesquisaram sobre a Fundação do Município e os personagens dessa história além de conhecerem as primeiras décadas da capital piauiense, a discussão girou entorno de quem faz a história da cidade,  como ela cresce e se desenvolve ao longo do tempo e que implicações das escolhas do passado interferem no presente. Com essa discussão as crianças passam a conhecer melhor o espaço que vivem e, posteriormente passam a valorizar esse lugar cheio de muitas e diferentes histórias: histórias dos bisavós e avós (1940-1960) sempre comparando com a vivência atual das crianças.

No segundo semestre foi proposto o estudo da cidade na perspectiva dos pais das crianças (1970-1990): como vivenciaram a cidade de Teresina, que lembranças cada um tem do seu tempo de infância e juventude, como eram as escolas, como se divertiam em Teresina no século XX.

Ainda faz parte do Projeto a discussão “A cidade que temos, a cidade que queremos e a cidade que faremos: a Teresina de hoje e de amanhã”. Sobre essa última discussão a professora relata “tudo começou com a analise da música dos Saltimbancos ‘A cidade ideal’. Depois de analisar, ouvir e cantar a música, a pedagoga afirma que foi lançada a proposta de construir uma maquete que representasse a “Teresina ideal”.

whatsapp-image-2016-10-31-at-11-43-13-1
             Maquete produzida por alunos.

Questionados sobre como seria essa Teresina, os alunos começaram a falar sobre a  construção de mais espaços de lazer, praças, segurança, hospitais, avenidas arborizadas, escolas, transporte coletivo eficiente, casas, prédios, etc”, explicou a professora.

Na semana passada, os brilhantes iniciaram a construção das idéias em sala de aula, através da montagem dos elementos necessários para a maquete desejada. “Com esse objetivo, iniciamos a construção das casas, em sala, durante a semana. No sábado (29), fizemos os demais elementos: ruas, sinalização,  arborização, espaço de saúde, de lazer, escolas e as novas formas de moradias que se iniciaram em Teresina no final dos anos 80 e início do anos 90: condomínios residenciais. Onde a maioria das crianças mora atualmente”, afirmou Shirlane Nunes.

whatsapp-image-2016-10-31-at-11-43-14-2
Os alunos expuseram através de maquetes, o conceito de cidade ideal.

Na segunda e terça-feira desta semana, foram feitos grupos para que os alunos analisassem a maquete produzida por eles que não estão divididas por turmas, as professoras misturaram propositadamente as produções das quatro turmas (E,F, G e H) para trabalharem a ideia do coletivo e da cooperação. A professora ressalta que a análise abordava os seguintes questionamentos: O que faltou? O que ficou legal? Podemos afirmar que nessa maquete a cidade cresce horizontalmente (com construção de casas) ou verticalmente (construção de prédios) ou das duas formas? Ainda aproveitaram para discutir as visões que podemos ter de uma cidade: Vertical, Frontal e Oblíqua.

“O interessante foi que a cada grupo descobriu coisas diferentes sobre o que faltou. Foi então que voltamos para a sala e fizemos uma lista. Concluímos que as cidades são resultados dos sonhos e do trabalho compartilhado de muitas e diferentes pessoas e, por isso, uma cidade não fica nunca pronta,  ela é sempre a criação e recriação de alianças e conflitos entre grupos sociais e/ou pessoas diferentes que por sua vez, também mudam”, concluiu a professora.